domingo, julho 28, 2013

HERMÍNIO C MIRANDA: UM PENSADOR DIFERENCIADO.





A razão escraviza todas as mentes que não são suficientemente fortes para a dominarem.
                                                           (George Bernard Shaw)


Os estudiosos do Espiritismo ainda sentem a perda recente de um dos mais profícuos pensadores espíritas: Hermínio C. Miranda, que desencarnou em 08 de julho de 2013, aos 93 anos.
Em minha avaliação pessoal – obviamente limitada e sujeita a erro – coloco-o ombreando pensadores de escol como os saudosos Herculano Pires e Hernani Guimarães Andrade. Não que estes sejam melhores do que tantos outros talentosos e brilhantes. São apenas diferentes, pela forma como construíram suas obras, todas alicerçadas em vastas pesquisas, experimentações e pontuadas com legítima originalidade, fugindo do lugar-comum para flertar com a vanguarda das possibilidades, das novas descobertas, de novéis especulações filosóficas e doutrinárias, sem perder conexão com a essência da doutrina.
Por isso, não poderia deixar de consignar esta singela homenagem a este ser humano que tão bem cumpriu sua missão nesta existência.
Desde a primeira obra que li desse autor, logo percebi que se tratava de um escritor diferenciado. Arguto em suas percepções, detentor de um refinado tirocínio que o habilitou a desenvolver um sólido senso crítico, a construir argumentos judiciosos e reconstruir histórias como poucos.
Profundo conhecedor das minúcias da mediunidade, foi referência teórica para milhares de médiuns e estudiosos.
Ganhou meu respeito, também, por nunca ter ficado confinado nos limites de sua área central de conhecimento. Transitava bem por outras áreas, não raro indo empoderar-se de sabedoria em literatura estrangeira, quase sempre desconhecida aqui, aspecto este que o fez trilhar também na senda de traduções para compartilhar tesouros com seus leitores e estudiosos.
Nunca buscou destaque, trabalhou silenciosamente como um escritor sério, compenetrado e versátil, fluindo espantosamente bem entre temas tão diversos, que só um conhecimento enciclopédico permite.
Segundo a Wikipédia[1], eis os títulos de sua obra:

·         A dama da noite (coleção "Histórias que os espíritos contaram")
·         A irmã do vizir (coleção "Histórias que os espíritos contaram")
·         A memória e o tempo
·         A reencarnação na Bíblia
·         A reinvenção da morte (incorporada ao livro As duas faces da vida)
·         Alquimia da mente
·         Arquivos psíquicos do Egito
·         As duas faces da vida
·         As mãos de minha irmã (coleção "Histórias que os espíritos contaram", anteriormente intitulado Histórias que os espíritos contaram)
·         As marcas do Cristo, publicada em dois volumes
·         As mil faces da realidade espiritual
·         As sete vidas de Fénelon (série "Mecanismos secretos da história")
·         Autismo, uma leitura espiritual
·         Candeias na noite escura
·         Com quem tu andas? (com Jorge Andrea dos Santos e Suely Caldas Schubert)
·         Condomínio espiritual
·         Cristianismo: a mensagem esquecida
·         Crônicas de um e de outro (com Luciano dos Anjos)
·         De Kennedy ao homem artificial (com Luciano dos Anjos)
·         Diálogo com as sombras
·         Diversidade dos carismas
·         Eu sou Camille Desmoulins (com Luciano dos Anjos), publicada também em francês com o título Je suis Camille Desmoulins
·         Guerrilheiros da intolerância
·         Hahnemann, o apóstolo da medicina espiritual
·         Lembranças do futuro (incorporada ao livro As duas faces da vida)
·         Memória cósmica
·         Nas fronteiras do além
·         Nossos filhos são espíritos
·         O espiritismo e os problemas humanos (com Deolindo Amorim)
·         O estigma e os enigmas
·         O evangelho gnóstico de Tomé
·         O exilado (coleção "Histórias que os espíritos contaram")
·         O mistério de Patience Worth (com Ernesto Bozzano)
·         O pequeno laboratório de Deus (anteriormente intitulada Negritude e genealidade)
·         O que é fenômeno anímico (série "Começar")
·         O que é fenômeno mediúnico (série "Começar")
·         Os cátaros e a heresia católica
·         Reencarnação e imortalidade
·         Sobrevivência e comunicabilidade dos espíritos
·         Swedenborg, uma análise crítica

Além destas, Herminio traduziu e comentou as seguintes obras:

·         A feira dos casamentos (de J. W. Rochester, psicografada por Vera Ivanova Kryzhanovskaia)
·         A história triste, publicada em três volumes (de Patience Worth, psicografado por Pearl Lenore Curran)
·         O mistério de Edwin Drood (de Charles Dickens, com final psicografado por Thomas P. James)
·         Processo dos espíritas (de Madame Pierre-Gaëtan Leymarie)


Por certo, a espiritualidade está em festa.
Que ele nos inspire e que outros sigam seu exemplo de amor ao estudo e ao Espiritismo.
                       

Um comentário:

Fernanda Miranda disse...

Que bonita homenagem! beijos